Purificação

Berenice Martins

Quando fecho meus olhos, deixo-me levar por suas palavras que aos poucos vão se distanciando e, como um bálsamo, toma conta de meu corpo e de meu espírito. Só eu sei o cansaço que tomava conta de meu corpo. Nem sei como cheguei até você. No momento que comecei a expelir aquelas bolhas com coisas sujas e enferrujadas - sangue coagulado, como se todo o fel que estava dentro de mim saía para fora e se desmanchava no ar, virando nada. Se perdia no ar. Por alguns momentos me senti chacoalhada, talvez para limpar bem o que estava dentro de mim, não é? As bolhas transparente eram para mostrar-me quantas coisas ruins pesavam em meu corpo, me angustiavam, tiravam toda a essência de minha vida.  Depois de ter expelido toda esta sujeira uma nova vida veio de dentro do meu eu, e por isso me vi bebê. Estava limpa por dentro e por fora e o cansaço e o peso que trazia comigo haviam sumido assim como as bolhas que se  desmancharam no ar. O jardim deu mais vida a mim mesma e às coisas do meu apto.

Sabe, no banho, quando cai a água em meu corpo me fortaleço e sinto como se tivesse ganhado um novo corpo. Quero conversar mais com você sobre isso.