Ansiedade e hipnose

Por Paulo Madjarof Filho

A ansiedade é um estado emocional de extrema expectativa em relação ao que ainda não é, ao que não aconteceu. A pessoa ansiosa rascunha mentalmente o futuro de maneira constante, checa cada item, cada passo. Calcula e presume diferentes respostas em relação a situação ainda não experimentada, vivendo um constante desgaste psico-fisico-emocional.

A pessoa ansiosa vive em função do tempo e parece estar sempre atrasada. Experimenta sintomas físicos como palpitações, falta de ar, dores de cabeça, tremores, suores, perturbações intestinas e/ou de bexiga. Há cada vez mais uma maior incidência de pessoas vivendo no limite dos seus recursos internos, tornando este padrão praticamente um estilo de funcionar.

A ansiedade é uma patologia típica dos grandes centros e esta diretamente relacionada com o estilo de vida de um individuo, e a quebra desse padrão de auto-exigência, é pressuposto básico para administrar os estados ansiosos, reduzindo o impacto das situações geradoras de estresse sobre a pessoa. Refiro-me a um modo diferente de traduzir psico-emocionalmente os eventos atinentes à vida.

Sob esta ótica, o treinamento por meio da hipnose para a promoção de estados de tranqüilidade e equilíbrio mostra-se bastante indicado, estabelecendo os níveis de ansiedade dentro de um padrão de normalidade, sem desequilíbrios. Isto acontece porque as situações que nos afetam são vividas ou narradas na primeira pessoa, ou seja, sentidas como se sempre estivessem acontecendo – aumentando a ansiedade e o mal estar. Quando observamos distanciadamente um fato, mesmo que dele façamos parte, os efeitos se apresentam diferentes, favorecendo uma conduta mais racional.

A aprendizagem da auto-hipnose e o constante uso dessa técnica favorece a construção de um padrão-resposta aceitável e atua como um regulador homeostático. O indivíduo que pratica regularmente a auto-hipnose se coloca muito mais no controle das respostas emocionais como se, muitas vezes, apenas assistisse como um telespectador, o filme de sua própria vida.

No Encontro Vivencial de Auto-hipnose que realizo periodicamente, costumo orientar as pessoas antes mesmo da realização dos exercícios que são propostos, que não acreditem em nada do que ouçam até que possam vivenciar. Penso que essa é a melhor medida que uma pessoa pode ter: o seu próprio referencial. Invariavelmente, os relatos são entusiasmados!

* Veja a data do próximo Encontro Vivencial de Auto-hipnose